Menus de contexto na web – botão direito do mouse: uma boa ou má idéia?

menu-contexto-web-topo

Sobrescrever a funcionalidade padrão do botão direito do navegador de internet é um assunto que vem sendo debatido no design de um projeto que estou participando, em geral as discussões sobre o assunto são bem acaloradas e com pontos de vista conflitantes. Para a maioria, uma funcionalidade padrão do navegador jamais deve ser alterada, entretanto há o contra-argumento que esses recursos podem, sim, ser sobrescritos quando há uma melhoria na experiência de uso da aplicação.

Devido ao histórico de abuso da sobrescrição dessa funcionalidade, desenvolvedores e designers repudiam seu uso dogmaticamente, não aceitando sequer discutir o tema, mas não devemos fechar os olhos neste sentido e a palavra depende é o que melhor se encaixa aqui. Do meu ponto de vista, essa é uma decisão de design e depende de alguns fatores que precisam ser analisados.

É uma má ideia quando…

O menu de contexto acessível com botão direito do mouse é um recurso que somente Usuários Avançados têm o costume de usar. Além disso, em sistemas que rodam MacOS, iOS e Android, o mesmo recurso requer um grau de complexidade maior para ser acessado, limitando mais ainda seu uso a uma minoria de usuários.

A sobrescrição desse recurso pode ser também um risco quanto à satisfação de uso de uma interface, já que os chamados “usuários avançados” podem querer usar funcionalidades do menu de contexto padrão do navegador, lembrando que os mesmos podem ser customizados com uso de complementos ou “addons” pelo próprio usuário, a fim de melhorar sua experiência de uso.

Se você não pode traçar um perfil exato do tipo de usuário da aplicação e se do ponto de vista do usuário ela se parecer com outros websites, não altere qualquer funcionalidade padrão do navegador.

É uma boa ideia quando…

Se a aplicação que você está projetando é composta, em sua maioria, de formulários que devem ser preenchidos rotineiramente e utilizada por um grupo específico de usuários, então a sobrescrição do menu de contexto padrão do navegador pode, sim, ser uma boa estratégia de design.

Inicialmente, os operadores de sistemas costumam ignorar a funcionalidade do botão direito nas aplicações, mas com o passar do tempo eles tendem a descobrir essa funcionalidade e aderir ao seu uso. Veja que nesse cenário o usuário precisa utilizar rotineiramente as mesmas funcionalidades, tornando-se inevitavelmente um Usuário Avançado da aplicação.

Se o menu de contexto for corretamente projetado para oferecer atalhos para funcionalidades que os usuários só têm acesso com mais de um clique de mouse ou arrastando a barra de rolagem do navegador, então sua sobrescrição é até recomendada, do ponto de vista prático do usuário.

Nesse caso, é necessário que do ponto de vista do usuário a aplicação não se pareça com um website e seja desenhada especificamente para facilitar a execução de suas atividades de rotina. Geralmente esse grupo de usuários possui um mesmo perfil e é restrito a pessoas ligadas à instituição que fornece a aplicação para uso.

Ponderações

Mesmo num cenário favorável ao uso de um menu de contexto da aplicação, devem-se tomar alguns cuidados fundamentais:

Desabilite por completo o acesso ao menu padrão do navegador e permita apenas o seu próprio menu de contexto, para que o usuário não se sinta confuso (ex.: GoogleDocs e DropBox).

Jamais torne uma funcionalidade acessível apenas através do menu de contexto. Lembre-se de que alguns usuários da aplicação poderão nem mesmo ter um segundo botão no mouse, ou mesmo um mouse (ex. Hotmail, YMail!).

Prefira menus de contexto acessíveis através do botão esquerdo do mouse. Você pode fazer isso introduzindo um pequeno ícone que se torna visível quando o usuário passa o mouse sobre o recurso que possui um contexto de ações. Esse recurso já é amplamente utilizado em grandes sites para dar acesso a recursos com menor utilização e diminuir assim o ruído causado pelo excesso de botões na tela (ex.: Facebook, GMail, GoogleReader).

Fonte: Imasters

Postagens Relacionadas