Rel=Confuso? Respostas para suas perguntas sobre Rel=Canonical

rel-confuso-canonical-topo

Faz mais de quatro anos (fevereiro de 2009) desde que que o Google e o Yahoo! anunciaram o suporte para a tag rel=canonical, e esta única linha HTML ainda está causando muita confusão para SEOs e webmasters. Recentemente, o Google postou 5 erros comuns com rel=canonical – é um bom artigo e um pouco de transparência bem-vinda, mas não aborda uma série de questões que encontramos diariamente aqui na Q&A. Então, eu achei que era um bom momento para abordar algumas das suas dúvidas mais comuns (e, por favor, perdoe e o seguinte absurdo)…

cannonsicles

O que é Rel=Canonical?

Simplificando, a tag rel=canonical é uma forma de dizer ao Google que uma URL é equivalente a uma outra URL, para fins de pesquisa. Tipicamente, uma URL (B) é uma duplicata da URL (A), e a tag canonical aponta para (A). A tag seguinte iria aparecer na pagina que gera URL (B), em <head></head>:

<link rel=”canonical” href=”http://www.example.com/url-a.html” />

O documento de suporte do Google sobre rel=canonical é realmente muito bom. O assunto do conteúdo duplicado é complexo, e eu abordei isso anteriormente em detalhe. Para este artigo, vou assumir que você tem um conhecimento pratico de técnicas SEO e tentou usar rel=canonical em seu site.

Nota: Rel=canonical também é referido com “Rel-canonical” e “Tag Canonical”. Para este artigo, vou tenta me referir constantemente a ele como “Rel=canonical’.

(1) Devo usar Rel=Canonical para paginação?

Eu não vou repetir todas as respostas do Google, mas esta é solicitada com tanta frequência que merece mais detalhes. Vamos dizer que você tem uma serie de resultados de pesquisa paginados (1,2,3… n). Estes podem ser considerados poucos, do ponto de vista de pesquisa, então você deve usar rel=canonical na sua página n de volta para a página 1?

Oficialmente, a resposta é “não” – o Google não recomenda isso. Eles recomendam que você use rel=canonical para uma pagina “View All” (se ter todos os resultados em uma pagina for viável), ou que você use rel=prev/next. Rel=canonical pode ser usado em conjunto com rel=prev/next para manipular tipos de busca, filtros etc., mas as coisas ficam rapidamente complicadas.

Paginação para SEO é um assunto muito complicado, e eu recomendo que você verifique estas dois recursos:

(2) Posso usar Rel=Canonical em Cross-Domain?

Sim – no final de 2009, o Google anunciou o suporte para o uso de cross-domain em rel=canonical. Isso é tipicamente para conteúdo sindicalizado, quando você está preocupado com a duplicação e só quer uma versão do conteúdo elegível para o ranking.

(3) Devo usar Rel=Canonical em Cross-Domain?

Essa é uma pergunta mais difícil. Primeiro, o Google pode escolher ignorar o uso de cross-domain de rel=canonical se as páginas parecem muito diferentes ou manipuladoras. O uso ideal de cross-domain rel=canonical seria uma situação em que vários sites de propriedade da mesma entidade compartilhassem conteúdo, e esse conteúdo fosse útil para os usuários de cada site individual. Nesse caso, você provavelmente não iria querer usar redirecionamentos 301 (que poderia confundir os usuários e prejudicar as marcas individuais), mas você pode querer evitar problemas de conteúdo duplicado e controle, cuja propriedade o Google exibe nos resultados de busca. Eu normalmente não usaria rel=canonical cross-domain apenas para consolidar PageRank.

(4) Devo usar Rel=Canonical em duplicatas próximas?

Como a minha experiência catastrófica de canonização e experimentos seguintes mostraram, o Google honra rel=canonical mesmo em diferentes páginas, em alguns casos. Isso não significa que é uma boa ideia. De um modo geral, que acho que é melhor reservar rel=canonical para duplicatas ou duplicatas muito próximas. Por exemplo, se uma página de produto se desdobra em cinco URLs com cinco cores diferentes, e cada cor de página difere apenas por uma ou duas frases (ou uma imagem), então, sim, eu acho que é bom usar rel=canonical para a página de produto “de origem”.

Não use rel=canonical como um substituto apropriado para redirecionamentos 301 e/ou 404s. Enquanto ele provavelmente não vai causar catástrofes de grande escala, eu suspeito fortemente de que o Google vai começar a ignorar suas tags canônicas, e isso pode afetar o modo como você controla duplicatas legítimas.

(5) Posso colocar Rel=Canonical na página canônica?

Em outras palavras, está certo colocar a tag rel=canonical na versão canônica da URL, apontando para si mesmo? Falando praticamente – sim, mas você não precisa. Logo no início, havia indícios de que o Google e o Bing preferiam que você não usasse muito rel=canonical. Com o tempo, no entanto, suas posições pareciam amolecer, e eu não tenho visto nenhuma evidência na história recente de um bem utilizado, auto-referencial canônico causando qualquer dano.

Isso é muitas vezes apenas uma questão prática – muitas URLs compartilham templates comuns, e o código necessário para exibir a tag rel=canonical apenas nas duplicatas e não a versão canônica de uma página pode ficar muito confuso e aumentar a chance de erros. Pessoalmente, acredito que os motores de busca reconheçam a realidade que a maioria dos webmasters encara e ajustam sua posição inicial, conservadora.

(6) Tudo bem colocar Rel=Canonical em todo o meu site?

Você deveria colocar preventivamente rel=canonical em todo o seu site – mesmo que muitas das páginas não estejam sujeitas a duplicar as questões de conteúdo? Acho que isso fica muito especulativo. Recomendamos essa abordagem no SEOmoz no passado, e eu acho que geralmente é seguro. Eu me preocupo que o uso excessivo de rel=canonical possa fazer com que motores de buscas desvalorizem e até mesmo ignorem essas tags, mas eu não posso apontar para qualquer evidência clara de que isso acontecerá. Também me preocupo com o fato de que as pessoas costumam implementar em todo o site as tags rel=canonical de forma ruim, o que acaba levando-as para páginas erradas.

Eu acho que a rel=canonical preventiva em sua home page é geralmente uma boa ideia, uma vez que home pages são propensas a variações de URL. Em um mundo perfeito, eu diria para usar rel=canonical em home page, duplicatas conhecidas, e todas as páginas com parâmentos que poderiam conduzir a conteúdo duplicado, e deixar o resto sozinho. No entanto, isso é muitas vezes um processo difícil. Em alguns casos, a implementação de rel=canonical em todo o site é melhor do que nenhum controle de índice.

(7) Devo usar Rel=Canonical ou redirecionamentos 301?

Por favor, entenda que, embora essas duas abordagens possam se comportar da mesma forma, do ponto de vista de um SEO, elas não são intercambiáveis. Aqui está a diferença crucial – o redirecionamento 301 leva o visitante para a URL canônica, enquanto a tag rel=canonical, não. Normalmente, apenas uma dessas abordagens é o caminho certo para seus visitantes. Se você realmente deseja consolidar permanentemente duas páginas e remover as duplicatas, então use um redirecionamento 301. Se você quiser manter as duas páginas disponíveis para os visitantes, mas apenas ter uma aparecendo nos resultados de busca, então use rel=canonical.

(8) O Rel=Canonical passa autorização/pagerank?

Isso é muito difícil de medir, mas se você usar rel=canonical de forma adequada, e se o Google o honrar, então ele parecerá agir de forma semelhante a um redirecionamento 301. Nós suspeitamos que ele passa na autorização/pagerank para links para a URL não-canônica, com uma pequena quantidade de perda (semelhante a um 301).

(9) Posso fazer Rel=Canonicals em cadeia (+301s, 302s etc.)?

O que acontece se você usar rel=canonical em uma URL com rel=canonical para outra URL, ou você usar rel=canonical para uma URL que faz um redirecionamento 301 para outra URL? Fica complicado. Em alguns casos, pode até funcionar e passar pelo PageRank. De modo geral, porém, é uma má ideia. Na melhor das hipóteses, é desleixada. Na pior das hipóteses, pode não funcionar de forma alguma, ou você pode perder um PageRank significativo em toda a cadeia. Sempre que possível, evite correntes e implemente rel=canonical de uma vez só.

(10) As páginas não-canônicas são indexadas?

Para todos os efeitos práticos – não. Se o Google honra uma tag rel=canonical, então a página não-canônica não é elegível para o ranking. Ela não terá uma única cópia em cache, e não vai aparecer no índice publico através de um “site” de pesquisa. Agora, o Google mantém um registro da URL não-canônica? Eu suponho que eles mantenham. Como um SEO, porém, a URL não-canônica deixa de existir em qualquer forma significativa.

(11) Outra pessoa pode usar Rel=canonical em minhas páginas?

Eu vi preocupações ocasionais sobre alguém usando rel=canonical, especialmente em cross-domain, para prejudicar um site ou roubar sua autoridade. Tenha em mente de que você só pode conceder o estatuto canônico de páginas que você controla. Então, você poderia usar rel=caninocal todas as suas páginas para o site de outra pessoa, mas por que alguém faria isso? Para causar qualquer estrago real, alguém teria que hackear seu site. Se isso acontecer, então o abuso de rel=canonical é o menor dos seus problemas. A vasta maioria de danos causados por rel=canonical é autoinfligida.

(12) Posso ter o meu pedaço também?

Não. Sim, eu sei – você não quer ouvir. Pelo menos um terço das perguntas que recebemos sobre rel=canonical se resume a “Quero todas essas páginas para classificar, e elas são todas iguais, mas eu não quero ter nenhum problema de conteúdo duplicado!” Eu não tenho nenhuma poção mágica para isso.

Você não tem que usar rel=canonical, mas, na minha experiência, controlar seu próprio conteúdo duplicado é melhor do que o Google fazer isso por você, e, eventualmente, ele fará isso por você. Nos velhos tempos, isso significaria que a página errada havia sido filtrada. Após mais de 25 atualizações do Panda, porém, isso poderia significar que o seu site inteiro sofre. Você não pode as duas coisas – se você tem conteúdo duplicado, então remova-o, controle-o ou melhore-o.

Fonte: Imasters

Postagens Relacionadas