Como os empreendedores podem construir uma rede de contatos

empreendedores-rede-contato-topo

Todo empreendedor sonha em deixar sua marca, fazer sua empresa aparecer e crescer. Para chegar neste patamar, no entanto, é preciso construir uma boa rede de contatos, que será capaz de conectar o empresário a investidores-anjo, clientes e parceiros importantes para o negócio.

Para Marcelo Miyashita, professor e consultor da Miyashita Consulting, fechar bons acordos depende da capacidade do empreendedor em administrar seus contatos. “É muito difícil prospectar parceria com alguém, implica confiança e entendimento. Se souber construir relações na carreira fica mais fácil estabelecer um acordo no futuro”, diz.

Foi com base nesse tipo relacionamento que Karen Sanchez, da loja virtual de moda Lets, conseguiu tirar sua ideia do papel. Karen trabalhava com e-commerce e criou uma rede de contatos, que encontrava com frequência em eventos sobre o tema. Em um almoço com o investidor Paulo Humberg, da A5 Investiments, ela contou sobre sua ideia e conseguiu apoio para começar. “Conhecia o Paulo Humberg de mercado. Eu estava nos principais eventos, tinha feito algumas palestras e a gente acabava se encontrando”, conta.

Este, porém, não é o único caminho. A empresária Danielle Lyra, da rede de franquias Fantasia, arriscou-se enviando um e-mail a um investidor que queria como parceiro. “Me veio o nome do Beto Studart por ele ser muito empreendedor. Mandei uma mensagem contando a história através de um formulário no site da empresa dele. Para minha surpresa, ele respondeu”, diz. Hoje, Danielle é sócia das filhas do empresário.

Ter paciência e realmente se dedicar ao relacionamento é essencial. “O trabalho de networking é difícil porque não é de curto prazo”, conta o especialista. Veja sete dicas de Miyashita para não errar na hora de fazer networking.

1.Leve networking a sério

Para Miyashita, uma rede de contatos bem formada é um recurso precioso dos empreendedores, principalmente para aqueles que estão iniciando um negócio. Por isso, assim como preparar-se para a operação e as finanças, o empresário precisa se preparar para o networking. “Ele tem que enxergar que empreender precisa ser consequência de preparação, e uma delas é estabelecer relações com pessoas que fazem parte dos seus objetivos”, diz.

2. Estabeleça pontes

Para casos como o de Karen, em que a pessoa já conhece bem o mercado em que vai empreender, fica mais fácil acionar a rede de contatos. Quem está começando em um mercado totalmente novo precisa ter mais paciência e buscar pessoas de sua rede que levem até parceiros importantes.

“A relação se estabelece se ele tem alguém que possa fazer essa ponte. O desafio é quando ele não tem relações com o mercado, o que acontece quando ele é novo e quando ele desenhou carreira em uma área e empreende em outra totalmente diferente. Aí, precisa fazer um trabalho de formiguinha de construir relações”, explica o especialista.

3. Conheça as redes off-line

Antes de fazer um trabalho das redes sociais na internet, é importante se conectar com instituições ligadas ao negócio. Elas ajudam a conseguir informações e saber sobre eventos, por exemplo. “É um trabalho de campo de se conectar com instituições, associação de classe, entidade setorial. Precisa se conectar com as redes sociais off-line, entidades do seu meio que funcionam como redes de pessoas”, ensina Miyashita.

4. Participe de eventos

Com informações em mãos, vá para eventos e faça o básico do networking que é trocar cartões. “Precisa circular neste mercado para ficar por dentro de eventos e começar a frequentar essas atividades para estabelecer contatos”, explica Miyashita.

5. Use as redes sociais

Depois do contato pessoal, é hora de aproveitar as redes sociais. “A abordagem é mais direta. Você verifica as pessoas que precisa fazer relação, constrói um bom texto e convida a se conectar. Isso vale principalmente no LinkedIn”, diz. No Facebook e no Twitter, a primeira recomendação é saber se a pessoa usa a rede profissionalmente.

Com a conexão ativa, é hora de mostrar-se é relevante. “Precisa se mostrar expert naquele assunto, capaz de fornecer informação, novidade e oportunidade”, ensina Miyashita.

6. Não seja vendedor

Seja em eventos ou nas redes sociais, o trabalho de networking deve ser espontâneo e não forçado. “Contato de relacionamento é diferente de venda. Você não sai fazendo seu pitch, contando sua história e falando o que precisa. Tem que se apresentar, trocar cartões e se mostrar relevante, ajudando os outros”, afirma o especialista.

A princípio, o contato pode parecer pouco interessante para a empresa, mas a chave é construir relações de longo prazo. “Você precisa alimentar essa relação, servindo, ajudando. O caminho não é de pedir”, diz.

7. Compartilhe informação

A ideia é mostrar-se relevante para ser lembrado e, para isso, é preciso compartilhar conhecimento. “Tendo uma grande base de relacionamento você acaba sendo relevante e lembrado por outras pessoas que podem te conectar”, conta o especialista. Uma boa forma de mostrar conhecimento é participar de grupos em redes sociais e disponibilizar informações sobre o seu mercado.

Fonte: Revista EXAME

Postagens Relacionadas