Como gerir bem o seu estoque?

como-gerir-bem-estoque-topo

A gestão dos estoques de uma pequena empresa é sem dúvida um dos pontos que mais merecem atenção dos executivos de uma empresa. A falta de qualquer um deles pode acarretar na perda de vendas ou mesmo a interrupção de processos produtivos. O excesso de mercadorias precisa ser igualmente observado porque equivale a dinheiro parado no estoque e, consequentemente, pode desequilibrar a gestão financeira da empresa. Não sobrar produto é tão importante quanto não faltar.

O ideal é equalizar a quantidade e variedade mínima de itens para que o ponto de venda esteja sempre abastecido. A gestão de estoques depende, sobretudo, da análise da demanda. Não adianta estocar grande quantidade de itens cuja procura seja baixa da mesma forma que é preciso ter sempre uma garantia de fornecimento das mercadorias que são mais comercializadas.

Em uma fábrica, por exemplo, atente ao volume de pedidos de vendas já confirmados e a previsão futura. Em uma loja de varejo, entenda as tendências do mercado e as preferências dos clientes.

Por isso, o ideal é que uma única pessoa seja responsável pelo abastecimento do estoque e pela compra. Uma segunda hipótese é que essas duas funções sejam exercidas por funcionários distintos, porém 100% alinhados.

Acompanhar o estoque e saber quais são os produtos com maior giro e os que estão ficando parados são tarefas importantes nesta gestão.

O estoque é analisado, normalmente, por meio de inventários (contagem física do estoque total). Para algumas empresas, é uma tarefa complicadíssima, pois pode demandar custos extras e esforço em horários alternativos. Para facilitar, uma boa opção é realizar o inventário rotativo ou inventário diário, que é a contagem física de somente alguns itens por dia.

Assim, todo dia haverá contagem de estoque. A escolha dos produtos pode ser aleatória ou determinada pelo gerente ou empresário. Os vendedores ficam atualizados, o índice de furtos internos diminui e velocidade no atendimento aos clientes aumenta.

Fonte: Revista EXAME

Postagens Relacionadas