Brasil a passos largos no marketing mobile para afiliados

brasil-marketing-mobile-afiliados-topo

O mercado de marketing de afiliação, um modelo de vendas e publicidade pela Internet, em que os afiliados divulgam promoções e ofertas de anunciantes e recebem uma comissão em cima das ações que geram resultado, é uma das experiências promissoras que tem dado passos largos no Brasil. O modelo já está bem desenvolvido nos Estados Unidos, e a grande vitrine de resultados mundiais no segmento foi apresentado no Affiliate Summit West 2013.

O maior evento de marketing de afiliação do mundo, realizado em Las Vegas, no Caesars Palace, reuniu, em um gigantesco salão de exposições, comerciantes, afiliados, fornecedores e redes, bem como várias faixas de palestras e sessões educativas que falam das últimas tendências e trazem informações de especialistas. O impressionante, além do local do evento, era a quantidade de pessoas que compareceram desde o dia de cadastramento até o fim do terceiro e último dia. Foram mais de cinco mil pessoas. Esse número me deixou realmente surpreso, demonstrando a força do nosso setor em todo o mundo.

O Affiliate Summit foi uma iniciativa de Missy Ward e Shawn Collins, em 2003, com o intuito principal de educar o mercado, trabalhar as questões mais recentes da indústria e promover oportunidades produtivas de network para aqueles que estão ligados ao segmento de afiliados. Realmente, se relacionar e trocar experiências é um dos pontos fortes do evento.

Nós, brasileiros, temos caminhado muito bem quando o assunto é marketing de afiliação, mas aprimoramentos são necessários. É claro que os avanços obtidos já são considerados importantíssimos para o nosso mercado, porém, o que não imaginávamos é o quanto os norte-americanos têm levado em consideração uma das questões que os brasileiros sabem usar muito bem: o relacionamento.

Nos Estados Unidos, o grande lance para manter o negócio funcionando muito bem é cuidar do “meio de campo”, ou seja, manter um relacionamento duradouro entre anunciantes e afiliados. Nesse ponto, podemos dizer que estamos na frente, já que manter uma aproximação entre cada ponta é necessário para que se tenha o resultado esperado para ambos os lados.

Além disso, eles trabalham muito bem a questão de marketing mobile. Os e-mails abertos em dispositivos móveis chegam a 40%. Percebi que temos, nesse quesito, muito o que crescer e explorar, já que aqui as coisas estão em expansão e podem progredir muito se houver investimento. A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico informou que os brasileiros efetuaram R$ 132 milhões em compras usando mídias móveis no primeiro semestre de 2012 e, segundo a mesma fonte, a estimativa para 2013 é de que essa cifra chegue a R$ 2 bilhões. Ou seja, foco em mobile marketing é uma realidade para quem quer se destacar.

Mais um ponto impressionante foi o “Meet Market”, um grande encontro que promove uma excelente oportunidade para conhecer e acelerar contatos com afiliados e comerciantes. Nesse local acontecem reuniões, um hot-spot de aprendizado sobre adnetworks e afiliação de rede, com objetivo de fechar negócios e criar parcerias. Os norte-americanos são famosos por encontrar oportunidades onde não há, e é impressionante como eles são diretos, assertivos e rápidos nos contatos.

Ficou bem clara a previsão para futuro dos afiliados. Sim, eles serão mobile e não há como escapar dessa tendência, já que no Brasil foram comprados cerca de 15 milhões de smartphones só em 2012. Nesse segmento, há uma forte movimentação para a área de vídeos. Por fim, foi apontado o nicho com maior crescimento: moda. As mulheres jovens são a grande maioria das compradoras de e-commerce e merecem atenção especial por isso.

Fonte: Imasters

Postagens Relacionadas